LEITURA DIÁRIA

1.Cântico dos Cânticos, 5.6 - Eu abri ao meu amado, mas ele já se tinha retirado e ido embora. A minha alma tinha desfalecido quando ele falara. Busquei-o, mas não o pude encontrar; chamei-o, porém ele não me respondeu.

2.Cântico dos Cânticos, 5.7 - Encontraram-me os guardas que rondavam pela cidade; espancaram-me, feriram-me; tiraram-me o manto os guardas dos muros.

3.Cântico dos Cânticos, 5.8 - Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, se encontrardes o meu amado, que lhe digais que estou enferma de amor.

4.Cântico dos Cânticos, 5.9 - Que é o teu amado mais do que outro amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? Que é o teu amado mais do que outro amado, para que assim nos conjures?

5.Cântico dos Cânticos, 5.10 - O meu amado é cândido e rubicundo, o primeiro entre dez mil.

6.Cântico dos Cânticos, 5.11 - A sua cabeça é como o ouro mais refinado, os seus cabelos são crespos, pretos como o corvo.

7.Cântico dos Cânticos, 5.12 - Os seus olhos são como pombas junto às correntes das águas, lavados em leite, postos em engaste.

8.Cântico dos Cânticos, 5.13 - As suas faces são como um canteiro de bálsamo, os montões de ervas aromáticas; e os seus lábios são como lírios que gotejam mirra.

9.Cântico dos Cânticos, 5.14 - Os seus braços são como cilindros de ouro, guarnecidos de crisólitas; e o seu corpo é como obra de marfim, coberta de safiras.

10.Cântico dos Cânticos, 5.15 - As suas pernas como colunas de mármore, colocadas sobre bases de ouro refinado; o seu semblante como o líbano, excelente como os cedros.

11.Cântico dos Cânticos, 5.16 - O seu falar é muitíssimo suave; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, e tal o meu amigo, ó filhas de Jerusalém.

12.Cântico dos Cânticos, 6.1 - Para onde foi o teu amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? para onde se retirou o teu amado, a fim de que o busquemos juntamente contigo?

13.Cântico dos Cânticos, 6.2 - O meu amado desceu ao seu jardim, aos canteiros de bálsamo, para apascentar o rebanho nos jardins e para colher os lírios.

14.Cântico dos Cânticos, 6.3 - Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; ele apascenta o rebanho entre os lírios.

15.Cântico dos Cânticos, 6.4 - Formosa és, amada minha, como Tirza, aprazível como Jerusalém, imponente como um exército com bandeiras.

16.Cântico dos Cânticos, 6.5 - Desvia de mim os teus olhos, porque eles me perturbam. O teu cabelo é como o rebanho de cabras que descem pelas colinas de Gileade.

17.Cântico dos Cânticos, 6.6 - Os teus dentes são como o rebanho de ovelhas que sobem do lavadouro, e das quais cada uma tem gêmeos, e nenhuma delas é desfilhada.

18.Cântico dos Cânticos, 6.7 - As tuas faces são como as metades de uma romã, por detrás do teu véu.

19.Cântico dos Cânticos, 6.8 - Há sessenta rainhas, oitenta concubinas, e virgens sem número.

20.Cântico dos Cânticos, 6.9 - Mas uma só é a minha pomba, a minha imaculada; ela e a única de sua mãe, a escolhida da que a deu à luz. As filhas viram-na e lhe chamaram bem-aventurada; viram-na as rainhas e as concubinas, e louvaram-na.

21.Cântico dos Cânticos, 6.10 - Quem é esta que aparece como a alva do dia, formosa como a lua, brilhante como o sol, imponente como um exército com bandeiras?

22.Cântico dos Cânticos, 6.11 - Desci ao jardim das nogueiras, para ver os renovos do vale, para ver se floresciam as vides e se as romanzeiras estavam em flor.

23.Cântico dos Cânticos, 6.12 - Antes de eu o sentir, pôs-me a minha alma nos carros do meu nobre povo.

24.Cântico dos Cânticos, 6.13 - Volta, volta, ó Sulamita; volta, volta, para que nós te vejamos. Por que quereis olhar para a Sulamita como para a dança de Maanaim?

25.Cântico dos Cânticos, 7.1 - Quão formosos são os teus pés nas sandálias, ó filha de príncipe! Os contornos das tuas coxas são como jóias, obra das mãos de artista.

26.Cântico dos Cânticos, 7.2 - O teu umbigo como uma taça redonda, a que não falta bebida; o teu ventre como montão de trigo, cercado de lírios.

27.Cântico dos Cânticos, 7.3 - Os teus seios são como dois filhos gêmeos da gazela.

28.Cântico dos Cânticos, 7.4 - O teu pescoço como a torre de marfim; os teus olhos como as piscinas de Hesbom, junto à porta de Bate-Rabim; o teu nariz é como torre do Líbano, que olha para Damasco.

29.Cântico dos Cânticos, 7.5 - A tua cabeça sobre ti é como o monte Carmelo, e os cabelos da tua cabeça como a púrpura; o rei está preso pelas tuas tranças.

30.Cântico dos Cânticos, 7.6 - Quão formosa, e quão aprazível és, ó amor em delícias!

31.Cântico dos Cânticos, 7.7 - Essa tua estatura é semelhante à palmeira, e os teus seios aos cachos de uvas.

32.Cântico dos Cânticos, 7.8 - Disse eu: Subirei à palmeira, pegarei em seus ramos; então sejam os teus seios como os cachos da vide, e o cheiro do teu fôlego como o das maçãs,

33.Cântico dos Cânticos, 7.9 - e os teus beijos como o bom vinho para o meu amado, que se bebe suavemente, e se escoa pelos lábios e dentes.

34.Cântico dos Cânticos, 7.10 - Eu sou do meu amado, e o seu amor é por mim.

35.Cântico dos Cânticos, 7.11 - Vem, ó amado meu, saiamos ao campo, passemos as noites nas aldeias.

36.Cântico dos Cânticos, 7.12 - Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se estão abertas as suas flores, e se as romanzeiras já estão em flor; ali te darei o meu amor.

37.Cântico dos Cânticos, 7.13 - As mandrágoras exalam perfume, e às nossas portas há toda sorte de excelentes frutos, novos e velhos; eu os guardei para ti, ó meu amado.

38.Cântico dos Cânticos, 8.1 - Ah! quem me dera que foras como meu irmão, que mamou os seios de minha mãe! quando eu te encontrasse lá fora, eu te beijaria; e não me desprezariam!

39.Cântico dos Cânticos, 8.2 - Eu te levaria e te introduziria na casa de minha mãe, e tu me instruirias; eu te daria a beber vinho aromático, o mosto das minhas romãs.

40.Cântico dos Cânticos, 8.3 - A sua mão esquerda estaria debaixo da minha cabeça, e a sua direita me abraçaria.

41.Cântico dos Cânticos, 8.4 - Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, que não acordeis nem desperteis o amor, até que ele o queira.

42.Cântico dos Cânticos, 8.5 - Quem é esta que sobe do deserto, e vem encostada ao seu amado? Debaixo da macieira te despertei; ali esteve tua mãe com dores; ali esteve com dores aquela que te deu à luz.

43.Cântico dos Cânticos, 8.6 - Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço; porque o amor é forte como a morte; o ciúme é cruel como o Seol; a sua chama é chama de fogo, verdadeira labareda do Senhor.

44.Cântico dos Cânticos, 8.7 - As muitas águas não podem apagar o amor, nem os rios afogá-lo. Se alguém oferecesse todos os bens de sua casa pelo amor, seria de todo desprezado.

45.Cântico dos Cânticos, 8.8 - Temos uma irmã pequena, que ainda não tem seios; que faremos por nossa irmã, no dia em que ela for pedida em casamento?

46.Cântico dos Cânticos, 8.9 - Se ela for um muro, edificaremos sobre ela uma torrezinha de prata; e, se ela for uma porta, cercá-la-emos com tábuas de cedro.

47.Cântico dos Cânticos, 8.10 - Eu era um muro, e os meus seios eram como as suas torres; então eu era aos seus olhos como aquela que acha paz.

48.Cântico dos Cânticos, 8.11 - Teve Salomão uma vinha em Baal-Hamom; arrendou essa vinha a uns guardas; e cada um lhe devia trazer pelo seu fruto mil peças de prata.

49.Cântico dos Cânticos, 8.12 - A minha vinha que me pertence está diante de mim; tu, ó Salomão, terás as mil peças de prata, e os que guardam o fruto terão duzentas.

50.Cântico dos Cânticos, 8.13 - Ó tu, que habitas nos jardins, os companheiros estão atentos para ouvir a tua voz; faze-me, pois, também ouvi-la:

51.Cântico dos Cânticos, 8.14 - Vem depressa, amado meu, e faze-te semelhante ao gamo ou ao filho da gazela sobre os montes dos aromas.

52.Isaías, 1.1 - A visão de Isaías, filho de Amoz, que ele teve a respeito de Judá e Jerusalém, nos dias de Uzias, Jotão, Acaz, e Ezequias, reis de Judá.

53.Isaías, 1.2 - Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, ó terra, porque falou o Senhor: Criei filhos, e os engrandeci, mas eles se rebelaram contra mim.

54.Isaías, 1.3 - O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende.

55.Isaías, 1.4 - Ah, nação pecadora, povo carregado de iniqüidade, descendência de malfeitores, filhos que praticam a corrupção! Deixaram o Senhor, desprezaram o Santo de Israel, voltaram para trás.

56.Isaías, 1.5 - Por que seríeis ainda castigados, que persistis na rebeldia? Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco.

57.Isaías, 1.6 - Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã; há só feridas, contusões e chagas vivas; não foram espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo.

58.Isaías, 1.7 - O vosso país está assolado; as vossas cidades abrasadas pelo fogo; a vossa terra os estranhos a devoram em vossa presença, e está devastada, como por uma pilhagem de estrangeiros.

59.Isaías, 1.8 - E a filha de Sião é deixada como a cabana na vinha, como a choupana no pepinal, como cidade sitiada.

60.Isaías, 1.9 - Se o Senhor dos exércitos não nos deixara alguns sobreviventes, já como Sodoma seríamos, e semelhantes a Gomorra.

61.Isaías, 1.10 - Ouvi a palavra do Senhor, governadores de Sodoma; dai ouvidos à lei do nosso Deus, ó povo de Gomorra.

62.Isaías, 1.11 - De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios? diz o Senhor. Estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; e não me agrado do sangue de novilhos, nem de cordeiros, nem de bodes.

63.Isaías, 1.12 - Quando vindes para comparecerdes perante mim, quem requereu de vós isto, que viésseis pisar os meus átrios?

64.Isaías, 1.13 - Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação. As luas novas, os sábados, e a convocação de assembléias ... não posso suportar a iniqüidade e o ajuntamento solene!

65.Isaías, 1.14 - As vossas luas novas, e as vossas festas fixas, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer.